domingo, 23 de outubro de 2016

Represas

  A ausência é uma presença enorme e há saudades que aproximam. As músicas que narram finais em geral querem voltar ao início. Eu me entedio com as partes felizes das histórias e vivo na ânsia do drama que nunca tem fim. A vida é paradoxal, e cada vez que me entendio com meus próprios dramas pra ficar esperando pela parte feliz da minha história, comprovo a teoria.