quarta-feira, 11 de maio de 2016

Meu mundo caiu

 Caro leitor admirador deste meu cérebro traiçoeiro, este é mais um daqueles textos que fiz em homenagem a você que tem apreço pelas ideias que não podem ser perdidas simplesmente porque surgiram num instante do tipo o ônibus está chegando no ponto não dá pra pegar o celular ou to quase pegando no sono não é hora de ligar o notebook, e, portanto, está sendo escrito às tantas da madrugada, inclusive porque além de tudo de qualquer coisa, uma leitora admiradora dessas ideias mui lindas e produtivamente sádicas sou eu mesma, e jamais me perdoaria pelas ideias desprezadas em razão dos momentos inoportunos em que surgiram.
  É assim que começo o tema mais inoportuno do momento, porque ele tem a ver com a minha “desvontade” de admitir coisas que é necessário admitir, e vocês precisam saber que admitir coisas que não queremos admitir é uma missão de gente grande, coisa que eu também não quero ser, e aí então nos afogamos no caos em que a presente locutora se encontra.