quinta-feira, 17 de março de 2016

A Lista de Brett - Resenha

Quem acompanha as resenhas que eu faço por aqui e já leu esse livro sabe exatamente porquê ele me conquistou ao ponto de ganhar uma resenha. Mas pra quem não o faz, eu vou tratar de explicar...
 A Lista de Brett foi um livro que eu não escolhi ler, mas que veio às minhas mãos, o que me deixou até bem grata, porque eu o agarrei com unhas e dentes depois da enxurrada de livros pouco inspiradores pela qual passei, e ele, apesar de eu ter muitas críticas a fazer, foi um livro que amoleceu meu coraçãozinho.
 Pois bem. Brett é uma mulher de 34 anos, pouco exigente com a vida e consigo mesma. Ela namora e mora com Andrew há 5 anos, mas esse relacionamento já deixou de ser um relacionamento há tempos. Além disso, ela trabalha na empresa da mãe, fazendo uma coisa que não gosta de verdade. E como se não bastasse tudo isso, sua mãe falece depois de alguns poucos meses lutando contra o câncer e deixa sua herança para todos os filhos, exceto ela, que deverá cumprir uma antiga lista de sonhos, que fez quando ainda era adolescente, no prazo de um ano para poder enfim recebê-la.
 A princípio, eu achei a ideia genial. A ideia do livro é genial. Quantas mulheres se perdem dos seus sonhos depois de anos presas num comodismo que não as leva para frente? Quantos de nós não nos perdemos de nós, dos nossos sonhos, da nossa essência, porque está mais fácil deixar tudo como está?